A comunicação integrada e sua importância para os projetos de engenharia!

Tempo de leitura: 6 minutos

A comunicação no projeto, em especial no segmento de construção civil, vem se mostrando cada vez mais determinante para o sucesso deste.

comunicação

Ou seja, a habilidade de saber comunicar, vem se tornando algo imprescindível para as empresas que pretendem ter sucesso nesse mercado.

Hoje sabemos que as falhas de comunicação não são brincadeira, e os problemas na comunicação são capazes de gerar resultados que podem comprometer o desempenho e até mesmo ir contra as metas e os objetivos estratégicos das pequenas e médias construtoras.

Mas até que ponto você entende a real importância da comunicação integrada para os projetos de engenharia?

É realmente importante realizar esse tipo de investimento? Se você também tem essas dúvidas, não se preocupe, pois será sobre isso que falaremos nesse artigo.

Para facilitar a leitura esse post foi dividido em alguns tópicos!

  • Como a comunicação integrada e os primeiros sistemas de colaboração surgiram? 
  • O que exatamente é o BIM – Building Information Modeling? 
  • Por que os projetos BIM estão sofisticando e beneficiando essa integração?

Hoje sabemos que para ocorrer uma verdadeira automatização do processo documental do empreendimento e uma real integração entre os participantes de um projeto, é importante que todos os participantes estejam integrados.

Os projetistas criam e gerenciam os projetos, que tem seu fluxo de revisão e emissão automatizado, que passa a ser analisado e validado pela engenharia do proprietário e enviado para execução dentro de um sistema que organiza o processo de negócio pactuado entre os envolvidos no projeto.

E como foi possível perceber, os benefícios dessa automatização são para todos os integrantes dos projetos.

Que pode ir de uma simples economia de mão de obra até uma enorme redução de risco do projeto como um todo.

Como a comunicação integrada e os primeiros sistemas de colaboração surgiram? 

Foi devido a realidade complexa e que se altera muito rapidamente, que surgiu nos Estados Unidos a idéia de comunicação integrada, inicialmente como uma arma estratégica para a sobrevivência e o desempenho de uma organização.

E tem como objetivo complementar a comunicação institucional, interna e mercadológica, para dessa forma fazer com que cada uma atinja a sua máxima potencialidade.   

A comunicação existia nas organizações de uma maneira pouco agregada e sem um conceito de integração entre suas ferramentas, e isso até meados dos anos de 1970.

E as empresas que possuíam departamentos específicos para organizar e planejar as ações de comunicação eram raras no mercado.

E por muitas vezes esse processo era visto com uma despesa e não como um real investimento.

No entanto, a comunicação hoje é considerada essencial, e não existe mais espaço para ações fragmentadas.

Podemos com o passar do tempo perceber que é preciso planejar e integrar suas atividades em função do fortalecimento institucional, mercadológico e corporativo junto a todos os públicos (internos: por exemplo, os funcionários da empresa; externos: por exemplo, o público-alvo da empresa).

O que exatamente é o BIM – Building Information Modeling? 

O BIM – Building Information Modeling – em português, Modelagem da Informação da Construção, é o novo conceito quando se trata de projetos para construções.

Trata-se de uma metodologia de trabalho que pode ser incorporada aos softwares de engenharia.

A sua aplicação revolucionou a construção civil, através da criação de modelos 3D e da introdução dos conceitos de Coordenação e Colaboração entre as disciplinas de projetos, garantindo a correta execução da obra e antevendo possíveis alterações.

Sabemos que nenhuma obra é igual, porém todas elas têm algo em comum: mobilizam uma variedade extensa de materiais, serviços e demais providências para que sua execução aconteça da forma mais eficiente possível.

E na maioria das vezes, gerenciar essa colaboração multidisciplinar acaba sendo uma tarefa um tanto complexa.

No entanto, a questão aqui é que, quanto mais dessas informações forem conhecidas, mais assertivo fica o planejamento e a construtora pode programar as atividades da obra com muito mais segurança.

E nesse caso, é que surge a importância do BIM, pois ele deve agregar todas as partes envolvidas no planejamento de uma construção, visando fornecer informações aprofundadas sobre cada detalhe da construção e que podem ser utilizadas por todos os envolvidos, desde engenheiros e arquitetos até planejadores e responsáveis pela compra de materiais.

Por exemplo, em um software que aplique o conceito, os profissionais podem trabalhar no mesmo projeto ao mesmo tempo utilizando o mesmo arquivo, adicionando os dados que competem à sua especialidade e vendo as atualizações no modelo em tempo real.

E nesse caso, não se trata apenas de facilitar apenas dados como dimensões de paredes e localização de canos hidráulicos e tubos de gás, mas também informações relacionadas a tipos e quantidade de insumos e mão de obra utilizados, por exemplo.

Ou seja, a partir do momento que você começa a modelar uma parede usando o BIM, é possível especificar parâmetros não apenas de espessura, comprimento e altura, mas também, por exemplo, o material do qual será feita a parede, fabricantes de materiais, custos, propriedades térmicas e acústicas, custos envolvidos, dentre outras possibilidades.

Por que os projetos BIM estão sofisticando e beneficiando essa integração?

Como podemos perceber, é realmente importante promover um melhor trabalho de colaboração de informações entre os vários participantes envolvidos nos processos de construção.

Temos diversos estudos que demonstram que a falta de interoperabilidade nas obras chega a gerar às construtoras custos anuais bilionários.

E nesse ponto, que consideramos as principais características do BIM, além é claro dos intercâmbios de informações.

Nesse caso, todos os profissionais envolvidos na execução do empreendimento podem exercer suas funções de forma integrada e alinhada ao objetivo do projeto.

Ou seja, os profissionais como os arquitetos, engenheiros, construtores, fornecedores e demais partes interessadas, podem extrair informações de acordo com suas necessidades para dessa forma tomarem as decisões mais assertivas.

E não podemos esquecer também que, qualquer alteração que os profissionais fizerem no modelo será processada em tempo real e atualizada.

E essa automação dos processos ajuda bastante na economia de tempo e na redução dos custos.

No final, o projeto poderá ser compreendido revisado e atualizado mais facilmente, o que ajuda a garantir mais precisão e avaliar alternativas para otimizar recursos e processos.

Trazendo uma comunicação mais eficiente entre os participantes do projeto e fluência no compartilhamento de informações da construção.

E aí? O que achou do artigo? Deixe a sua opinião conosco. Aproveite curta e compartilhe para que mais pessoas tenham acesso a essas informações.

Dúvidas, críticas ou elogios deixem nos comentários!

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + cinco =