Placas de Energia Solar: Escolha Inteligente e Sustentável

Tempo de leitura: 7 minutos

Por que a inclusão de placas de energia solar no projeto de edifícios empresariais pode ser uma escolha inteligente?

Independente do setor, a responsabilidade com os fatores sustentáveis é algo que precisa ser levado a sério. No âmbito da construção civil não é diferente, uma vez que uma grande tendência tem feito muito sucesso no setor: a utilização da energia oriunda da luz solar.

As famosas placas fotovoltaicas são instaladas no topo das edificações a fim de produzir energia solar. A prática é rentável, uma vez que é abatida boa parcela do que seria gasto com a conta de luz no final no mês.

Para ter uma breve ideia, de acordo com um relatório recente da Agência Internacional de Energia, o segmento de energia solar é o que mais adiciona capacidade de geração em todo o mundo. Os dados foram publicados pelo jornal O Globo (matéria do caderno ‘Sustentabilidade’, publicada no dia 17/06/2018, por Sérgio Matsuura).

Ainda de acordo com o relatório, na China, por exemplo, já instalam placas fotovoltaicas especiais no lugar do asfalto, com o intuito de captar ainda mais luz solar.

Por essa razão, produzimos este conteúdo especial com tudo o que você precisa saber sobre este tipo de energia, seus equipamentos e processos de instalação, bem como a rentabilidade e sustentabilidade que ele proporciona na Construção Civil.

Tecnologia atrelada ao desenvolvimento

A energia solar está em constante crescimento e aprimoração, assim como pôde ser visto na introdução deste artigo. Em meio a todas as energias de fontes alternativas, este modelo de captação é o que mais recebe investimentos todos os anos.

Nos últimos anos, as placas solares estão marcando presença não apenas nos países mais ricos, mas também naqueles que se encontram em desenvolvimento, como é o caso do Brasil.

Este tipo de energia é considerado limpo, uma vez que o carbono é neutralizado durante a captação.

Confira algumas vantagens da tecnologia usada para armazenar energia solar:

  • Energia praticamente inesgotável;
  • Acessível para todo mundo;
  • Ótimo custo benefício;
  • Aplicação simplificada.

A aplicação desse tipo de equipamento é simplificada, tanto para residências como para prédio comerciais. Neste último exemplo, a energia solar é mais importante ainda, pois, como se trata de um empreendimento, o fator econômico prevalece, uma vez que o valor gasto com energia elétrica é positivamente reduzido.

Aneel aprova a produção de energia renovável

Aplicações de placas fotovoltaicas em casas, apartamentos e prédios comerciais já é algo comum e legal no Brasil. De acordo com a Agência  Nacional de Energia Elétrica (Aneel), qualquer indivíduo pode gerar a própria energia elétrica de fontes alternativas (solar), assim como determina a resolução 482/2012.

Portanto, desde 2012, a medida tem estimulado a produção de painéis fotovoltaicos, pois o equipamento proporciona independência na produção energética de casas, empresas e edifícios comerciais.

Ainda cabe dizer que utilizar energia solar diminui os impactos causados ao meio ambiente, assim como o aumento no lucro, especialmente no uso em empresas.

Além de gerar energia elétrica para alimentar eletrônicos e eletrodomésticos, as placas solares também podem servir para o aquecimento de água, garantindo muito mais economia com gás e eletricidade.

Como o sistema é instalado

As placas fotovoltaicas recebem a luz solar e, neste caso, é imprescindível calcular o ângulo ideal, uma vez que a energia solar precisará ser captada com assertividade.

Sendo assim, a posição das placas deve ser de acordo com o nascente e o pôr do sol. Além disso, no início do projeto são realizadas algumas inspeções no local de instalação, para detectar se a edificação está apta a suportar a carga das placas.

Além de receber todo o equipamento, o local precisa ser acessível às futuras manutenções. Além do mais, é necessário manter a atenção voltada ao projeto elétrico da empresa ou residência. Neste sentido, o espaço precisa ser projetado para receber o desempenho tecnológico fotovoltaico.

Isso porque a tensão gerada pode ser mais elevada que o normal, assim sendo, instalações não preparadas podem não suportar a carga elétrica, gerando, até mesmo, curtos e danificando a rede.

Sistemas fotovoltaicos

Existem dois sistemas de instalação principais e cada um deles é destinado para necessidades e edificações diferentes. O primeiro sistema é o isolado, que proporciona autonomia durante o funcionamento, além de possibilitar o armazenamento de energia em baterias especiais.

A segunda modalidade, por sua vez, é ligada diretamente à rede, pois fornece energia para a concessionária de caráter público, uma vez que o consumidor recebe créditos que podem ser abatidos da conta de luz no fim do mês.

Tipo de mão de obra

Para qualquer tipo de projeto no âmbito da construção civil é mais do que necessário possuir uma mão de obra qualificada. Por conta disso, é imprescindível contar com um time de profissionais aptos à instalação do sistema fotovoltaico.

Por exemplo, para que o sistema seja ligado na rede de distribuição, é primordial ter um projeto previamente assinado por engenheiro eletricista, que entrará em contato com a fornecedora de energia, solicitando a autorização para a entrada de carga no sistema.

Ainda assim, o engenheiro deve estar presente durante toda a construção e instalação, até porque será ele o responsável por oferecer qualquer tipo de auxílio aos operadores.

É comum que, antes que os trabalhos de execução comecem, seja realizada uma visita prévia ao local para diagnosticar a situação e definir se está tudo de acordo.

Muitas das empresas que vendem as placas fotovoltaicas e os demais equipamentos não oferecem mão de obra, por isso, é recomendada a contratação de profissionais e/ou empresas especializadas para a realização desta tarefa.

Em poucas palavras, o sistema é composto pelas placas, fiações elétricas e o inversor. Este último equipamento é responsável por converter a energia elétrica CC produzida pela luz solar nas placas, em energia elétrica CA, que será distribuída para toda a edificação ou para outra finalidade.

Processo de instalação detalhado

Para realizar a instalação corretamente, o medidor de energia elétrica deve ser desligado. Neste caso, o responsável é o profissional de elétrica, que localiza e desliga o equipamento.

Posteriormente, algumas telhas são retiradas para liberar espaço aos trabalhadores que irão instalar os módulos fotovoltaicos. A cobertura deve ser recolocada de maneira correta, logo após o fim dos procedimentos.

Em seguida, os profissionais precisam construir algumas canaletas pelas quais irão passar os componentes até chegar ao inversor.

Interligações

A interligação com a distribuidora de energia precisa ser previamente avisada, uma vez que o medidor de energia será trocado. Neste cenário, o equipamento vai medir a eletricidade que entra na edificação, assim como a que sai à rede de distribuição.

O medidor de duas vias, como é chamado, servirá como o balizador entre os créditos da edificação e os débitos com a distribuidora, o que vai garantir aquele desconto no fim do mês.

Por fim, além de ser uma escolha inteligente e que não fere o meio ambiente, a utilização de energia alternativa proporciona muito mais economia e autonomia para casas, apartamentos e prédios comerciais.

Leia também:
▶  Energia Solar, como integrar em um edifício?

Acompanhe nossas redes sociais:
▶ Facebook: https://vseng.co/face-blog-eng
▶ Instagram: https://vseng.co/insta-blog-eng

Inscreva-se no canal do parceiro Vieira Santos:
▶ vseng.co/YouTube-VS

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 5 =