Shanghai Tower é escolhido como melhor arranha-céu do mundo pelo CTBUH

Tempo de leitura: 2 minutos

Com 632 metros de altura, edifício projetado pelo Gensler é inspirado no shikumen, um estilo de casa vernacular que mescla o interior ao exterior

O Council on Tall Buildings and Urban Habitat (CTBUH) nomeou a Shanghai Tower, o edifício mais alto da China, como o “Melhor Arranha-Céu do Mundo”, no 15º Prêmio CTBUH, ocorrido na última quinta-feira (3). O projeto de arquitetura é do Gensler.

Entre os diferenciais do edifício de 632 metros, o júri destacou o seu projeto de design inovador, de tradições arquitetônicas da cidade. O seu conceito vem do shikumen, um estilo de casa vernacular que mescla o interior ao exterior. Dessa forma, a construção incorpora em si um átrio de diversos andares, entre a fachada de duplo revestimento. Além disso, o perfil torcido do empreendimento garante sustentabilidade ao design ao reduzir em 24% o carregamento de vento.

Também receberam prêmios regionais o Via 57 West, do BIG, pelas Américas; o The White Walls, projetado por Jean Nouvel, pela Europa; e o The Cube, assinado pelo Orange Architects, no Oriente Médio e África. Foram distribuídas medalhas a Fazlur R. Khan e a Lynn S. Beedle, por suas realizações profissionais.

Na ocasião, ainda foi entregue o prêmio de Habitat Urbano ao Wuhan Tiandi Site A, pelo seu plano diretor que incorpora espaços de união com comércio de baixo crescimento em um cenário de alto-crescimento.

O Prêmio de 10 anos foi concedido ao Hearst Tower, em Nova York. Ele é o primeiro na cidade a conseguir o Certificado LEED Ouro, do GBC. Ele utiliza 26% menos energia que o prédio construído de maneira usual, devido ao seu sistema térmico eficiente, que prevê um interior aberto com vista panorâmica ao Central Park. O seu design proporcionou economia de 2 mil toneladas de aço, sendo 90% do aço utilizado provindo de material reciclado.
Vencedor na categoria Performance, o Taipei 101 conquistou o Certificado LEED Platinum para Operações e Manutenção em 2011. A torre emerge de uma base de oito andares, o que evoca o formato de um templo chinês. O topo de cada módulo abriga andares mecânicos com sistemas de lixo, equipamento de ventilação e armazenamento de água.

O Pin Fuse ganhou a categoria Inovação, com uma estrutura de dois elementos, que deslizam e pré-configuram cargas para dissipar a energia e consegui flexibilidade em eventos sísmicos.

A premiação CTBUH visa promover uma visão mais sofisticada de estruturas construtivas importantes, e contribuir para melhoras em relação à sua performance.

Fonte: Pini

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − 12 =