Você sabe o que um DPS pode fazer por você?

Tempo de leitura: 10 minutos

Provavelmente você já ouviu falar que os raios em tempestades podem provocar a queima de aparelhos elétricos e eletrônicos. Mas, por que isso acontece? Conheça um pouco mais sobre o comportamento dos raios e saiba como evitar grandes perdas com as suas consequências.

Apesar de ser essencial para a proteção das instalações elétricas, o DPS ainda é pouco utilizado pelos eletricistas na área residencial. Assim como o conhecimento das pessoas sobre a importância do DPS.

Obrigatório em quase todas as situações previstas na Abnt NBR 5410 – instalações elétricas de baixa tensão, o DPS, Dispositivo Protetor de Surto, apareceu vagamente na versão de 1997 dessa norma e se tornou compulsório na versão de 2004. 

O que são descargas atmosféricas, raios?

O raio é uma descarga elétrica de grande intensidade que ocorre entre as nuvens ou entre nuvem e solo. Representa perigo para as pessoas, edificações e equipamentos. Em média, de 50 a 100 descargas elétricas atingem o planeta terra a cada segundo. O Brasil é o campeão mundial de incidência de raios, registrando de 50 a 70 milhões de descargas atmosféricas por ano.

O raio pode atingir diretamente a rede elétrica, telefônica, de tv e internet causando um grande surto que é conduzido com toda a sua potência ao longo das redes transmissoras, e, sem a correta proteção, causa a queima dos mais diversos equipamentos eletrônicos conectados a elas.

Quando um raio cai a determinada distância da rede de distribuição elétrica, ele gera um campo eletromagnético que atinge a rede. O surto causado por este campo é conduzido pela rede elétrica a uma distância de até 5km do local de origem.

Em edificações com “pára-raios”, as pessoas e edifícios estão livres dos danos, mas seus bens eletroeletrônicos correm ainda mais perigo, pois quando um raio é levado ao solo, ele gera uma onda eletromagnética e ela gera surtos elétricos.

Quando um surto elétrico causado por um raio acontece, a tensão da rede pode se elevar a mais de 5000 Volts, podendo ocasionar danos aos equipamentos e até mesmo queima-los instantaneamente.

O que é o DPS e qual a sua importância nas instalações elétricas?

“O DPS tem papel fundamental em uma instalação elétrica. Ele tem a função de proteger os equipamentos eletroeletrônicos contra danos ocasionados por descargas atmosféricas e surtos de tensão oriundos da rede elétrica”  por Juarez Guerra, Finder

A NBR 5410 determina que deve ser provida proteção contra sobretensões em uma instalação alimentada por linha total ou parcialmente aérea e que se localize em regiões onde ocorram mais de 25 dias de trovoadas por ano. Levando em conta os sistemas de distribuição públicos existentes no Brasil e analisando os mapas disponíveis, é possível concluir que a maior parte das instalações elétricas está obrigada a possuir proteção contra sobretensões de acordo com as exigências da norma.

“O DPS protege os equipamentos elétricos e eletrônicos ligados à instalação contra sobretensão, por exemplo no caso de descargas atmosféricas. O DPS é tão importante como os demais dispositivos de segurança da instalação e tem seu uso obrigatório de acordo com NBR 5410” por Júlio Bortolini

O DPS já é “familiar”aos eletricistas e as pessoas?

Apesar da utilização do DPS em instalações elétricas ser obrigatória por norma desde 2004 (ABNT NBR 5410/2004 em seu item 5.4.2.1), ainda existem muitos eletricistas que desconhecem esse produto e a sua importância.

Diferente de outros dispositivos utilizados em instalações elétricas como disjuntores que você pode executar manobras (abrir e fechar), o DPS é um equipamento que tem apenas função de proteção e irá atuar somente quando houver um surto de tensão. Isso faz com que ele passe despercebido pelos eletricistas, sendo lembrado apenas quando houver dano em algum equipamento elétrico.

É comum cometerem erros na escolha e na compra de um DPS?

É muito comum os profissionais cometer erros na especificação e compra do DPS, isso ocorre principalmente por não saberem como especificar corretamente o produto. Além disso, muitos fabricantes não mostram informações técnicas do DPS de maneira clara e objetiva, o que causa confusão para os profissionais.

Informações básicas como: Classe de Proteção, Tensão Nominal/Máxima, Corrente Nominal/Máxima, Corrente de Impulso, Nível de Proteção (Up) devem constar no produto e no manual de forma clara e direta para que não haja erros de escolha.

Que cuidados deve se ter na escolha de um DPS para uma instalação?

Para dimensionar um DPS, precisamos de algumas informações específicas da instalação, como:

  • Onde o DPS será instalado? (QGBT, QD)
  • Qual o tipo de aterramento? (TT, TN-C, TN-S)
  • Quantidade de condutores? (Alimentação Trifásica, Bifásica ou Monofásica)
  • Qual a tensão nominal? (230V / 380V)
  • Tipo de estabelecimento? (depósitos de explosivos, comércio, indústria, residência)
  • Local possui para-raios?
  • Nível de tensão de suportabilidade dos equipamentos eletroeletrônicos a serem protegidos (Tensão Up).

A partir dessas informações será possível especificar:

  • Classe do DPS (I, I+II, II, III)
  • Corrente nominal de descarga e/ou corrente de impulso
  • Nível de proteção (UP)
  • Máxima Tensão de operação contínua (UC)
  • Suportabilidade a sobretensões temporárias
  • Suportabilidade à corrente de curto-circuito.
  • Além disso, quando utilizados em mais de um ponto da instalação (em cascata), os DPS devem ser selecionados levando-se em conta também sua coordenação.

Que aspectos deve-se considerar no ato da compra, para não cometer equívocos?

O eletricista, ou proprietário, deve se atentar as características técnicas principais: Classe de Proteção, Tensão Nominal/Máxima, Corrente Nominal/Máxima, Corrente de Impulso, Nível de Proteção (Up).

Outro aspecto que deve ser considerado é a qualidade do produto, ela vai determinar se haverá proteção efetiva dos equipamentos eletroeletrônicos ou não.

Um DPS de má qualidade pode colocar em risco toda a instalação elétrica, podendo ocasionar a queima dos equipamentos eletroeletrônicos e até incêndio, caso o DPS permaneça acionado depois do surto ocorrer (fechar curto-circuito entre fase-terra).

Normalmente equipamentos de melhor qualidade têm custos mais altos, assim, optar pelo produto mais barato pode sair caro!

É muito importante que na revisão das instalações elétricas, seja verificado o estado do DPS.

Há problemas no super dimensionamento e sub dimensionamento dos DPS?

Para os profissionais especificarem um DPS, é importante saber o valor da corrente máxima que ele suporta. Muitas vezes, essa informação faz com que eles optem por um modelo X (de corrente maior) ao invés do Y. Nesse caso, a intuição diz que, quanto maior a corrente suportada pelo DPS melhor! Porém isso nem sempre é verdade!

Para o equipamento protegido, é mais importante especificar o valor da tensão residual (Up) que o DPS deixa passar, do que a corrente máxima que ele suporta.

O valor da corrente máxima depende do tipo de instalação (residencial, comercial, local com risco de explosão) e do número de condutores (sistemas mono, bi ou trifásicos) e não efetivamente em maior/menor proteção dos equipamentos.

Ao comprar um DPS com corrente máxima menor, na maioria das vezes, o valor da tensão residual (Up) é menor! Assim, se economiza comprando o DPS de menor corrente e ainda ganha em proteção!

Que riscos o superdimensionamento e o subdimensionamento podem gerar na instalação?

O superdimensionamento pode ocasionar a não proteção efetiva dos equipamentos (eventual queima dependendo do surto), pois a tensão residual (Up) pode ser maior do que a máxima suportada pelo equipamento.

O subdimensionamento pode ocasionar queima do DPS e a não proteção dos equipamentos (eventual queima se houver surto). Caso o subdimensionamento esteja relacionado à tensão, ou seja, utilizar um DPS de tensão menor que a nominal, a vida útil do DPS diminuirá e, quando ele for acionado em um surto, o mesmo poderá não desacionar e ficar curto-circuitado fase e terra.

A baixa qualidade do DPS pode ocasionar incêndios?

Produtos de baixa qualidade podem ocasionar grandes problemas para a instalação, além de não proteger o equipamento, o risco de iniciar um incêndio é grande devido à baixa qualidade dos componentes internos (podem aquecer facilmente no momento de um raio e também ocasionar curto-circuito caso o varistor seja de má qualidade).

Quando se trata de proteção, utilizar marcas conhecidas no mercado, com histórico de qualidade,  é o melhor caminho para evitar problemas futuros!

Quais os erros mais comuns identificados na instalação dos DPS?

Devido à falta de conhecimento quanto ao funcionamento, é fácil encontrar DPS instalados errados. Os erros mais comuns na instalação dos DPS estão relacionados com a distância do condutor de terra, a distância entre um DPS e outro (quando usado em cascateamento) e quanto à sua localização.

Muitas vezes o DPS é ligado com cabos de terra longos, o que dificulta o escoamento da energia dissipada quando há um surto. Se a distância de um quadro de distribuição para outro for maior que 10m, é necessário utilizar outro DPS para proteger esse circuito.

Na entrada da edificação, deve ser instalado DPS de Classe I ou I+II (a depender do caso) e DPS de Classe II nos quadros de distribuição, nunca o contrário! Garantir que o fluxo de energia oriundo do surto passe primeiro pelo DPS de maior classe, garante a proteção dos equipamentos do local.

Como simplificar na escolha do DPS?

Para auxiliar na especificação e escolha do DPS correto para as instalações elétricas, deixo aqui uma dica para conferir um artigo da Finder, que conta com um exclusivo guia de DPS para você baixar.

Você sabe o que um DPS pode fazer por você?

Agora que você já sabe conhece um pouco sobre o DPS , os danos e prejuízos que os raios, surtos, e os erros de instalação podem causar aos equipamentos, você pode tirar algumas conclusões para essa pergunta.

DPS bem especificados, de um bom fabricante, e instaladores de maneira correta, podem garantir segurança as suas instalações, ao seu patrimônio, evitar custos desnecessários por danos a equipamentos elétricos e eletrônicos que são tão importantes para o seu dia-a-dia, ou seja, o DPS por mais que não seja visto, pode influenciar muito em sua vida pelo bom ou mal funcionamento.

Para proteção de sua vida, patrimônio, e de seus eletroeletrônicos contra queimas causadas por raios e surtos elétricos, utilize DPS em suas instalações elétricas!

Agradecemos a colaboração do nosso parceiro Finder com informações importantíssimas e esclarecedores sobre DPS.

Leia também:
▶ 5 Dicas para Economizar Energia

Acompanhe nossas redes sociais:
▶ Facebook: https://vseng.co/face-blog-eng
▶ Instagram: https://vseng.co/insta-blog-eng

Inscreva-se no canal do parceiro Vieira Santos:
▶ vseng.co/YouTube-VS

 

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × quatro =